Acessibilidade    Aumentar fonte    Tamanho normal    Diminuir fonte    Contraste
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
agenda
enquete
página inicial / o município

HISTÓRIA

Pesqueira é um município Brasileiro do estado de Pernambuco. Distante a 215 km da Capital Pernambucana. Situa-se na Microregião do Vale do Ipojuca e Mesorregião do Agreste Pernambucano. É sede da Diocese de Pesqueira, a sé episcopalestá na Catedral Santa Águeda. Pesqueira dispõe de boa infra-estrutura, que inclui hotéis, pousadas, bares, restaurantes e movimentado calendário de eventos, faz parte deste calendário o antigo Circuito do Frio de Pernambuco atual Festival Pernambuco Nação Cultural "Festa da Renascença" de Pesqueira (um festival de músicas no meio do ano com artistas locais e consagrados) e toda a parte cultural da cidade. Além de privilegiada localização, Pesqueira conta com o Santuário de Nossa Senhora das Graças, local de adoração e centro de peregrinação católica.

A história de Pesqueira começa em fins de 1659 ou início de 1660 com a fundação de uma missão da Congregação do Oratório pelo padre João Duarte do Sacramento. Tal missão fora fundada junto à tribo cariri de nome Xukuru, que habitava a serra do Ororubá (ou Urubá, ou até Ararobá, como aparece nos registros mais antigos). O local foi batizado pelo padre de Monte Alegre, que depois se tornou Cimbres e fora elevada à categoria de vila em 3 de abril de 1762. Antes disso, segundo carta de sesmaria datada de 24 de janeiro de 1691, o lugar já era sede da Capitania de Ararobá e tinha como capitão-mor o sesmeiro Matias Sicio, que seria substituído ainda naquele mesmo ano por João de Oliveira Neves, segundo carta assinada por ele em agosto de 1691. Pelo menos até 1721, segundo documento de 4 de abril daquele ano, um manifesto em apoio a Antônio Vieira de Melo, Oliveira Neves, fazendeiro de Monte Alegre, ainda era capitã-mor de Ararobá.

Ao que parece, a dita capitania foi transferida para os Campos dos Garanhuns por volta de 1727 e não em 1700, como alguns apontam. A capitania voltaria para Monte Alegre em 1762, com a elevação da povoação à categoria de vila e sede de município.

A partir de 1800, uma fazenda começou a ser instalada ao pé da serra por Manoel José de Siqueira. A fazenda recebeu o nome de "Poço Pesqueiro" (ou "da Pesqueira", como também se encontra nos registros mais antigos) e começou a progredir com rapidez. Tanto que a 13 de maio de 1836, Poço Pesqueiro já era uma povoação vistosa e fora elevada a vila com o simplório nome de "Pesqueira". Junto com a elevação a vila, Pesqueira recebeu a sede do Município de Cimbres (que no alto da serra, já não era tão viável para assuntos políticos e o comércio). Depois disso a cidade progrediu como nenhum outro lugar do sertão, devido à instalação de fábricas de doces e beneficiamento de tomate[carece de fontes]. Em 1880 a vila foi elevada a cidade com o nome de "Santa Águeda de Pesqueira", que não vingou e recebeu o nome de "Pesqueira". A vila de Cimbres foi a ela anexada e, juntas, Cimbres e Pesqueira formaram o Município de Cimbres até 1913, quando "Pesqueira" passou definitivamente a ser o nome do Município, passando a antiga sede a mero distrito.

 

DADOS GERAIS

Geografia

Localiza-se a uma latitude 08º21'28" sul e a uma longitude 36º41'45" oeste, estando a uma altitude de 654 metros. Sua população, segundo censo de 2010 é de aproximadamente 64.000 habitantes. Possui uma área de 1036,45 km². Administrativamente, o município é formado pelo distrito sede e pelos povoados de Cimbres, Mimoso, Mutuca, Papagaio, Salobro, Ipanema, Cajueiro, Beira Mar, Capim de Planta e Cacimbão.

Limites

Hidrografia

O município de Pesqueira encontra-se inserido nos domínios das bacias hidrográficas dos rios Ipanema e Ipojuca. Seus principais tributários são: o Rio Ipojuca, além dos riachos: dos Pebas, Cana-Brava, do Boi, Santana, Gravatá, Ceguinha, da Atravessada, do Guerra, Quebra-Roça, do Bálsamo, Baraúnas, Liberal, Papagaio, do Belo e Salobro. Os principais corpos de acumulação são: os açudes Pão de (54.696.500m 3 ), Ipaneminha (3.900.000m 3 ), Carlos de Brito e Tambores, além das lagoas: do Bicheiro, do Jacu, Grande, do Algodão e do Anzol. Todos os cursos d’ água no município têm regime de escoamento intermitente e o padrão de drenagem é o dendrítico.

Clima

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), desde 1961 a menor temperatura registrada em Pesqueira foi de 9,8 °C em 31 de julho de 1976, e a maior atingiu 38,8 °C em 6 de janeiro de 2003. O maior acumulado de precipitação observado em 24 horas foi de 148,7 mm em 16 de março de 1967. Outros grandes acumulados foram 113,4 mm em 23 de dezembro de 1963, 110,7 mm em 18 de fevereiro de 1985, 109,2 mm em 29 de março de 1987, 105,8 mm em 29 de março de 1979, 105,6 mm em 4 de março de 1996 e 100,2 mm em 7 de abril de 2014. O menor índice de umidade relativa do ar foi registrado nas tardes de 31 de dezembro de 1964 e 9 de outubro de 1985, de 19%.

Divisão distrital e povoados

Relevo

O município de Pesqueira, está inserido na unidade geoambiental do [[Planalto da Borborema]] formada por maciços e outeiros altos, com altitude variando entre 650 a 1.000 metros. Ocupa uma área de arco que se estende do sul de Alagoas até o Rio Grande do Norte. O relevo é geralmente movimentado, com vales profundos e estreitos dissecados. Com respeito à fertilidade dos solos é bastante variada, com certa predominância de média para alta.

Vegetação e solo

A vegetação desta unidade é formada por Florestas Subcaducifólica e Caducifólica, próprias das áreas agrestes. Nas Superfícies suave onduladas a onduladas, ocorrem os Planossolos, medianamente profundos, fortemente drenados, ácidos a moderadamente ácidos e fertilidade natural média e ainda os Podzólicos, que são profundos, textura argilosa, e fertilidade natural média a alta. Nas elevações, ocorrem os solos litólicos, rasos, textura argilosa e fertilidade natural média. Nos Vales dos rios e riachos, ocorrem os planossolos, medianamente profundos, imperfeitamente drenados, textura média/argilosa, moderadamente ácidos, fertilidade natural alta e problemas de sais. Ocorrem ainda afloramentos de rochas.

Povos Indígenas

Na Serra do Ororubá vivem os índios Xukuru, em 24 aldeias, o município de Pesqueira se consolida como o maior reduto indígena do Nordeste. São 9.335 descendentes indígenas Xucuru ,que residem no município, segundo o Censo 2010. A terra indígena, homologada em 2001, ocupa uma área de 27,5 mil hectares, onde os índios desenvolvem atividades agrícolas e bordados tipo renascença.

Além disto, no núcleo urbano de Pesqueira, habitam aproximadamente 200 famílias indígenas, sobretudo no bairro Xukurus.

A tribo dos Paratiós foi extinta e dela quase não há registros.

Demografia

População aproximamente
segundo censo (IBGE)
Ano População
2000 57 000
2007 61 000
2010 64 000
Dados do Censo - 2010

População residente

 

HINO


Hino do município de Pesqueira

Letra por Luiz Cristóvão dos Santos
Melodia por Dinamércio Sedycias

Ó Pesqueira dos doces e das rosas
Embalada ao rolar da “cachoeira”
Tens a graça das manhãs gloriosas,
Ès sertaneja meiga e faceira

Um porvir grandioso tu desvendas
Com a esperança fagueira te acenando,
Vem ao som do abôio nas fazendas
E o motor das fábricas pulsando

Lençol de prata pelos céus azuis
Quanta beleza teu lar encerra
È a tristeza dos índios Xucurus
Com a saudade atroz da tua serra

E no alto da serra, entre os rebrilhos
Refulgentes do sol, o teu Cruzeiro
Abre os braços da fé, e altaneiro;
De Deus é a benção sobre os teus filhos

Estribilho

Terra querida de Anísio Galvão
Tu és bonita e mais risonha não há
Teu nome trago no coração
Rainha do Ororubá

 

 

links úteis

 

Câmara Municipal de Pesqueira
Rua Cardeal Arcoverde, s/n | Centro | Pesqueira - PE | CEP: 55200-000
Email: ouvidoria@camarapesqueira.pe.gov.br | Fone: 87 3835.2778
Funcionamento de Seg. à Sex. dàs 07:00 às 13:00
CNPJ 11.464.278/0001-36